Disso tudo então se entende que a aplicação da homeopatia pode ser concomitante ao uso de outros medicamentos ?
 

Sim e Não. Sim quando o órgão é vital e não tem mais conserto, por exemplo o caso da insulina em diabéticos, da digitoxina em cardíacos, dos hormônios tireoideanos quando a tireóide já foi destruída, diálises nas insuficiências renais crônicas, etc., nos demais casos o médico homeopata fará uma avaliação e tomará decisões em cada situação específica. Por exemplo, os doentes portadores de cânceres que estão sob radioterapia ou quimioterapia e que ao mesmo tempo estão utilizando o medicamento homeopático que objetiva sua re-harmonização e reorganização como individuo sofrem muito menos, pois apesar da desorganização geral que essas técnicas provocam, o organismo, sob a informação do medicamento homeopático, reorganiza-se rapidamente, é como um navio em que está entrando água e a tripulação, bombeando-a para fora, consegue reparar a avaria a tempo. O mesmo pode-se dizer em relação a doentes portadores de artrites reumatoides, lupus, escleroses múltiplas, etc., nestas situações, ao ser introduzida a informação homeopática que mobiliza o sistema em sua totalidade, observa-se melhoria visível na sintomatologia, o que autoriza o médico homeopata a retirar paulatinamente os medicamentos não homeopáticos, uma vez que os consertos feitos pelo organismo já estão em curso e são suficientes para mantê-lo bem, sem sintomas e às vezes até dado por curado daquela doença. Percebe-se pois que todos os doentes podem beneficiar-se do tratamento homeopático, em alguns haverá concomitância de tratamentos mas na maior parte das vezes apenas a informação homeopática será necessária.

Dr. Matheus Marim
Médico Homeopata
e-mail: mmarim@dglnet.com.br