HOMEOPATIA EM PEDIATRIA


Autora - Dra. Ruth Faingold


Os filhos são para seus pais uma promessa, uma possibilidade, um reencontro. Têm o poder de despertar a história pessoal de cada um, as inserções familiares e todos os outros relacionamentos que muitas vezes já pareciam estar perdidos em memórias do passado.

Durante o período da gestação fazem explodir mil pensamentos; como nascerá, com quem será parecido, qual será seu nome, como será a interação com ele nas brincadeiras, nos ensinamentos, buscar novos caminhos ou repetir modelos das famílias paternas, como tratá-lo quando adoecer ?.

Surge neste ponto o questionamento sobre a linha de trabalho terapêutico a adotar. Despertada a curiosidade para a Homeopatia surgem as perguntas sobre esta terapêutica e os que a praticam.

Devemos esclarecer que em nosso país a Homeopatia apenas pode ser exercida por médicos que tenham seus diplomas reconhecidos pelo Ministério da Educação e Cultura-MEC e a qualidade dessa prática terapêutica é conferida ao médico através de cursos de especialização com duração mínima de 1200 horas que inclui uma prática que confere segurança ao trabalho do médico. Portanto, em nosso país a Homeopatia é uma especialidade médica autônoma, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina-CFM e pela Associação Médica Brasileira-AMB. Sua representante máxima no Brasil é a Associação Médica Homeopática Brasileira-AMHB.

Superada essa curiosidade inicial surgem outras; no que consiste a consulta homeopática de um lactente ?, a partir de que idade o bebe poderá começar a ser atendido por um médico homeopata ?.

A consulta de um bebe, fundamenta-se na entrevista com a família, da necessidade do conhecimento da dinâmica familiar da harmonia entre os adultos e de como os irmãos o recebem.

Sintomas como ciúme, rejeição, solidão, abandono, medo e indecisão permeiam o ambiente familiar constituindo-se em uma música que o homeopata procura identificar para poder prescrever ao bebe e também, se necessário, aos demais membros da família.

Diz a psicanálise que os filhos são o desejo de seus pais e na maior parte das vezes atuando-se sobre os pais a orquestra volta a tocar em harmonia.

O homeopata é treinado para saber ouvir a observação dos pais, perceber suas intuições e trazê-las ao universos do ato médico.

A observação é uma técnica que necessita ser desenvolvida ao limite, uma vez que nem todas as crianças são iguais, pelo contrário cada ser é único e a homeopatia é individualidade. É por isso que desde muito pequeno alguns serão inquietos, outros tranquilos, alguns comerão com alvidez e serão ansiosos, outros já nem tanto, alguns se assustarão pelos menores ruídos, enquanto outros se mostrarão tranquilos e dormirão mesmo tendo ao lado as músicas ouvidas pelos irmãos.

O homeopata procurará individualizar e perceber todos esses matizes particulares de cada criança, identificando já os primeiros elementos da construção da personalidade futura. É por isso que no interrogatório homeopático são rastreados todos os episódios vivenciados pela mãe durante a gestação, a conduta da criança dentro do útero, seu comportamento ao nascer, sua relação com o seio materno etc. Soma-se a isso o exame clínico como praticado pela medicina de uma forma geral.

Por esta razão podemos falar de homeopatia e prevenção, porque ao fazer uma minuciosa historia clínica incluindo não apenas o aspecto físico da criança, mas todo universo psíquico que a cerca, estaremos praticando uma medicina que é acima de tudo preventiva. Identificar e modificar as causas antes que elas produzam efeitos.

Texto adaptado para a BVS-Ho. por Dr. Matheus Marim
Revista Homeopatia para Todos, AMHA, Argentina, n. 1, Ano 1, Abril-1994


Texto 10